Melatonina – O que é, Para que serve, Benefícios, Efeitos colaterais

Melatonina – O que é, Para que serve, Benefícios, Efeitos colaterais

Melatonina – O que é, Para que serve, Benefícios, Efeitos colaterais
5 (100%) 1 voto[s]

Entenda porque a melatonina ajuda a emagrecer

Nosso relógio biológico é um sinalizador que nos avisa quando temos que despertar, comer e dormir, na verdade isso que chamamos de relógio biológico é regido pelo nosso ciclo circadiano, que é o modo como o organismo se adapta para sincronizar seu funcionamento. Pode-se dizer que dois hormônios são os comandantes deste ciclo diário, que é o cortisol e a melatonina.

O cortisol é um hormônio sintetizado pelas glândulas supra-renais ( localizadas acima dos rins) e age na redução de processos inflamatórios, controle do estresse, dos níveis de glicose no sangue e manutenção da pressão arterial. Os níveis de cortisol estão em alta durante o período do dia.

A melatonina é um hormônio sintetizado através da glândula pineal (localizada no cérebro) e só é produzida na ausência da luz, ou seja, ao anoitecer, é ela quem comanda o nosso sono e regula o relógio biológico.

É ela que controla para que não tenhamos sono no período do dia e também controla a temperatura corporal para nos manter aquecidos quando estamos dormindo.

O processo para produção de melatonina no organismo se inicia na retina que através de seus mecanismos fotoreceptivos  detectam a ausência da luz, se ligam as células da glândula pineal que irão usar o nervo óptico passando por outras vias até o hipotálamo central. Chegando na medula espinhal, promove uma sinapse no gânglio cervical superior para alcançar os nervos simpáticos ganglionares.

A luz de aparelhos eletrônicos e a luz artificial interferem em sua produção, por isso o ideal na hora de dormir é não ficar usando celulares, tablets, computadores ou assistindo televisão,  

A melatonina é produzida a partir do triptofano (aminoácido essencial) que é um precursor da serotonina, o neurotransmissor que regula o humor e dá a sensação de bem estar.

Apesar de a melatonina ser um hormônio produzido de forma endógena ( pelo próprio corpo), foi desenvolvido também em forma sintética como suplemento e atualmente pode ser prescrito quando há necessidade de aumentar sua produção.

Inicialmente era utilizado por pessoas que tinham problemas relacionados ao sono, porém após novos estudos foi observado que a melatonina também pode ser eficaz para a perda de peso.

O uso do suplemento só pode ser comercializado em farmácias de manipulação sob prescrição médica e foi liberado no Brasil no ano de 2017.

O que dificulta a produção de melatonina ?

A produção da melatonina fica comprometida quando há mudanças na rotina, como a troca do horário de dormir para pessoas que trabalham no período da noite, pois mesmo sentindo cansaço a presença da luz do dia impede a sua produção natural.

Outra situação que reduz a produção deste hormônio, é nas viagens para locais que têm um fuso horário com muita diferença do país original.

A idade avançada também diminui a produção de melatonina, pois as necessidades biológicas já não dependem tanto das horas de sono, sendo assim há menor produção.

O uso da melatonina para estes casos é aconselhável porque ajudará a regularizar o padrão de sono e vigília, e evitará problemas relacionados a falta de descanso necessário para que o corpo realize adequadamente suas funções.

Por ser um hormônio que já é produzido pelo organismo o seu uso sintético não causará dependência como outros medicamentos para dormir.

Como a melatonina ajuda na perda de peso ?

A falta de uma boa noite de sono pode desregular as funções do organismo e alterar o apetite, pois quanto mais tempo de vigília, mais o corpo terá que trabalhar e portanto faltará a energia que deverá ser reposta pela alimentação e geralmente nestes períodos a procura por alimentos mais calóricos é mais prevalente.

Uma noite mal dormida pode ainda gerar um efeito no dia seguinte, desencadeando mais necessidade de consumir alimentos mais energéticos e o desejo por doces pode aumentar, pois o organismo deixa de produzir ou produz reduzidamente outro importante hormônio, a leptina, responsável pela saciedade.

Quando o organismo tem o nível de melatonina adequado, há também a produção adequada do cortisol que é o hormônio que regula o estresse e ajuda a manter os níveis equilibrados de açúcar no sangue, estes dois fatores quando estão desequilibrados podem desencadear ganho de peso.

Um outro fator importante relacionado a melatonina e a perda de peso se dá pelo fato de que durante o sono produzimos o hormônio do crescimento (GH) que favorece um efeito termogênico promovendo a queima de calorias e gorduras.

Um estudo realizado por um grupo de pesquisadores de um Hospital Universitário de Madri, Universidade de Granada e Universidade do Texas, foi observado que ratos diabéticos suplementados com melatonina tiveram aumento do tecido adiposo marrom (presente em todos os mamíferos), cuja sua principal função é a termogênese, processo em que o corpo gasta energia para produzir calor com a finalidade de regular a temperatura corporal.

Acreditava-se que este tecido estava presente em grande quantidade apenas em recém nascidos e bebês para mantê-los aquecidos enquanto dormem, mas pesquisadores comprovaram que este tecido continua presente em adultos e que ele queima a gordura branca que se acumula no abdômen ,principalmente nas vísceras.

Outro estudo feito nos Estados Unidos, relacionou a insônia com o ganho de peso em um grupo de adultos saudáveis que foi observado por 4 noites onde alguns participantes tiveram seu sono restrito a 4,5 horas e os outros tiveram 8,5 horas de sono por noite.

O grupo que dormiu apenas 4,5 horas, foi observado que os níveis da grelina, hormônio do apetite teve um aumento, além de a ingestão de alimentos com mais gordura terem sido os preferidos na hora de escolherem uma refeição.

Vale ressaltar que no estudo com ratos, a melatonina foi utilizada de maneira isolada sem a preocupação de aliar a dieta e exercícios físicos, sendo enfatizado pelos pesquisadores que em seres humanos a utilização isolada da melatonina para perda de peso pode ter resultados diferentes.

Sendo aconselhável que o hormônio seja  utilizado em uma ação conjunta com a alimentação adequada e exercícios físicos para que o processo de emagrecimento seja mais eficaz.

Efeitos colaterais

Como todo e qualquer suplemento, a melatonina quando tem uso inadequado pode provocar efeitos indesejados, são raros os casos que acontecem, mas se houver exagero na dose, poderá ocorrer :

  •  Cefaléia
  •  Enxaqueca
  •  Irritabilidade
  • Tontura
  •  Aumento da pressão arterial
  •  Boca seca
  •  Fadiga
  •  Ansiedade

Conclusão

Os níveis adequados de melatonina influenciam diretamente o funcionamento do organismo, porque o período de sono é importante para reparar necessidades fisiológicas.

A melatonina sintética pode ser utilizada por indivíduos que estão com problemas de insônia crônica ou estão tendo dificuldades devido a mudança de hábitos no padrão do sono, desde que haja acompanhamento médico.

Este hormônio age de maneira que regulariza hormônios relacionados a fome e a saciedade, e por isso pode determinar o ganho de peso, mas não pode ser utilizado de maneira isolada para o processo de emagrecimento pois para tanto é necessário uma ação conjunta com exercícios e alimentação equilibrada.

Referências:

  • https://hospitalsiriolibanes.org.br/imprensa/noticias/Paginas/-Suplemento-de-melatonina-entenda-as-indica%C3%A7%C3%B5es-de-uso-desse-horm%C3%B4nio.aspx
  • https://www.mdsaude.com/2016/09/melatonina.html
  • https://brasilescola.uol.com.br/saude/usos-melatonina.htm
  • https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/saude-bem-estar/usos-melatonina.htm

 

x'